EXPERIMENTE O INSTAGRAM E FANPAGE @CAPSULAHISTORICA

MORTE DE NILO PEÇANHA


NOME: Nilo Procópio Peçanha (56 anos) 
QUEM FOI: Presidente do Brasil de 1909 a 1910. Assumiu a presidência após o falecimento de Afonso Pena. Era advogado. Era presidente do estado do Rio de Janeiro quando, em 1906 foi um dos signatários do Convênio de Taubaté-SP, assim como os presidentes de São Paulo e Minas Gerais. É eleito vice-presidente, e acaba por assumir o cargo a 14 de junho de 1909, com a morte do titular, Afonso Pena. O novo presidente tinha como missão administrar um país de cerca de 23.151.669 habitantes, dos quais aproximadamente 67Nilo-Peçanha% viviam no campo. Depois de completar o período de Afonso Pena na presidência, Nilo Peçanha foi eleito senador pelo Rio de Janeiro em 1912, estado do qual tornou-se mais uma vez presidente entre 1914 e 1917. Em 1917, exerce o cargo de ministro da Relações Exteriores no governo de Delfim Moreira. Em 1921 concorreu à presidência da República na legenda da Reação Republicana, sendo vencido por Artur Bernardes. É eleito mais uma vez senador pelo Rio de Janeiro, falecendo em 1924. Hoje, é reconhecido como o primeiro presidente mulato do Brasil. 
NASCIMENTO: 2 de outubro de 1867 - Campos dos Goytacazes, Brasil. 
MORTE: 31 de março de 1924 - Rio de Janeiro, Brasil. 
CAUSA DA MORTE: Doença de chagas. 
OBS: Nilo era Maçom e Grão-mestre do Grande Oriente do Brasil de 23 de julho de 1917 a 24 de setembro de 1919, quando renunciou ao cargo. Foi sepultado no Cemitério de São João Batista, no Rio de Janeiro.