Você gosta de IMAGENS HISTÓRICAS? Experimente o Facebook @capsulahistorica, ou o blog: www.FOTONAHISTORIA.blogspot.com

MORTE DE OTTO ABETZ


NOME: Otto Abetz (54 anos) 
QUEM FOI: Embaixador da Alemanha nazista na França de Vichy durante a II Guerra Mundial. Abetz era professor de artes numa escola de moças, interessado na cultura francesa desde muito jovem, o que o levou a criar um grupo de estudos franco-alemão para jovens em sua cidade. Ardente francófilo, casou-se com a francesa Susanne de Bruyker em 1932, numa época em que politicamente podia ser definido como um pacifista de esquerda. Suas tendências políticas mudaram nos primeiros anos de governo nazista na Alemanha, o que o fez se filiar ao Partido Nazista em 1937, quando se candidatou ao serviço diplomático alemão. Residente na França por ocasião da declaração de guerra em setembro de 1939, Abetz foi deportado de volta à Alemanha e acompanhou Adolf Hitler a Varsóvia após a queda da Polônia. Com a invasão nazista da França em maio de 1940 e a subseqüente rendição francesa que separou o país em duas zonas, a ocupada pelos alemães e a zona livre de Vichy, governada por franceses leais e submissos ao governo alemão, Abetz foi designado embaixador alemão em Paris por Joachim von Ribbentrop, o chanceler da Alemanha. 
NASCIMENTO: 26 de maio de 1903 - Schwetzingen, Alemanha. 
MORTE: 5 de maio de 1958 - Langenfeld, Alemanha. 
CAUSA DA MORTE: Acidente de carro. 
OBS: Capturado pelos Aliados em 1945, ele passou quatro anos preso até ser condenado a vinte anos de prisão por uma corte francesa em julho de 1949 por crimes de guerra, principalmente por seu papel na deportação dos judeus franceses para campos de extermínio na Polônia. Após realizar apelos à Corte Internacional de Justiça em Haia em 1952, Otto Abetz foi libertado da prisão de Loos em 17 de abril de 1954. Porém, após conseguir a liberdade ele teve pouco tempo de vida. Morreu em 5 de maio de 1958 num acidente numa auto-estrada alemã nas vizinhanças de Langenfeld. À época de sua morte, houve grande especulação de que ela teria sido encomendada como vingança por suas atividades na França durante a guerra mas nada foi oficialmente provado.

Nenhum comentário: