Você gosta de IMAGENS HISTÓRICAS? Experimente o Facebook @capsulahistorica, ou o blog: www.FOTONAHISTORIA.blogspot.com

MORTE DE MICHELÂNGELO


NOME: Michelangelo di Lodovico Buonarroti Simoni (89 anos) 
QUEM FOI: Pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano, considerado um dos maiores criadores da história da arte do ocidente e um dos mais extraordinários artistas da Renascença. Dentre suas obras está a pintura da Capela Cistina, as estátuas de Davi e La Pietà. Perdeu a mãe aos 6 anos, foi criado por uma ama-de-leite e seu esposo, um cortador de mármore. O mármore influenciou Michelangelo em sua vocação de escultor, mesmo pressionado pelo pai a não se tornar num artista, Michelangelo persistiu. Em Veneza tomou contato com a concepção de outros artistas como Petrarca, Boccaccio e Dante; e esculpe obras como Baco Bêbado e Adonis Morrendo. Em 1505, o papa Julio II chamou Michelangelo para construir um tumba para a sua morte, Michelangelo só concluiu a tumba após a morte do pontífice; no Vaticano, o artista ainda efetuou a decoração da Capela Sistina.
NASCIMENTO: 6 de março de 1475 - Caprese, Itália.
MORTE: 18 de fevereiro de 1564 - Roma, Itália.
CAUSA DA MORTE: Febre.
OBS: Faleceu pacificamente pouco antes das cinco da tarde do dia 18, na companhia de Tiberio Calcagni, Diomede Leoni, Tommaso dei Cavalieri e Daniele da Volterra, além dos médicos Federigo Donati e Gherardo Fidelissimi. Por ordem do governador de Roma o corpo foi depositado com grandes honras na Basílica dos Doze Santos Apóstolos, mas Lionardo desejava que ele repousasse em Florença, e teve de roubar o cadáver e despachá-lo para a outra cidade disfarçado como mercadorias, sendo entregue na alfândega local em 11 de março. Dali foi removido para um oratório, e no dia seguinte em segredo foi levado por amigos para a Basílica da Santa Cruz, mas o movimento foi percebido por populares e logo uma grande multidão se formou para acompanhar o cortejo, prestando-lhe sua última homenagem. O grupo entrou na Basílica, que ficou completamente lotada, e o lugar-tenente da Accademia ordenou que o caixão fosse aberto. Segundo os registros, após vinte e cinco dias de seu falecimento, o corpo ainda estava intacto e sem qualquer odor. Então foi enterrado atrás do altar dos Cavalcanti.