EXPERIMENTE O INSTAGRAM E FANPAGE @CAPSULAHISTORICA

MORTE DE REI LUÍS II DA BAVIERA


NOME: Ludwig Otto Friedrich Wilhelm von Wittelsbach (40 anos) 
QUEM FOI: Rei da Baviera, Duque de Zweibrücken e Conde Palatino do Reno de 1864 a 1886. apelidado de "Rei Cisne" ou "Rei de Conto de Fadas", foi o Rei da Baviera de 1864 até ser deposto três dias antes de sua morte. Era o filho mais velho do rei Maximiliano II e sua esposa a princesa Maria da Prússia. Ele ascendeu ao trono aos dezoito anos de idade. Dois anos depois a Baviera foi subjugada pela Prússia e posteriormente absorvida dentro do Império Alemão. Luís permaneceu como rei, porém praticamente ignorou tais assuntos de estado e concentrou-se em projetos artísticos e arquitetônicos. Ele encomendou a construção de dois palácios luxuosos e o Castelo de Neuschwanstein, sendo um grande patrono do compositor Richard Wagner. Luís gastou todas as rendas reais nesses projetos, realizando grandes empréstimos e ignorando todas as tentativas de seus ministros para impedí-lo. Isso depois foi usado contra ele para declará-lo insano, uma acusação que desde então foi refutada. Luís é geralmente bem considerado e até reverenciado na Baviera atualmente. Seu legado artístico e arquitetural inclui muitos dos principais pontos turísticos da região. 
NASCIMENTO: 25 de agosto de 1845 - Munique, Alemanha. 
MORTE: 13 de junho de 1886 - Munique, Alemanha. 
CAUSA DA MORTE: Afogado. 
OBS: Em 13 de junho de 1886, por volta de 6 horas da manhã, Luís pediu ao Dr. Gudden pediu para acompanhá-lo em um passeio pelo bosque do Castelo de Berg, ao longo da margem do Lago Starnberger. Gudden concordou e disse aos enfermeiros para não acompanhá-los. Os dois homens foram vistos pela última vez por volta de 6:30 e deveriam retornar às 8 horas, mas nunca voltaram. Após horas de buscas por toda a propriedade, sob chuva e ventos fortes, os corpos do rei e do médico foram encontrados flutuando em águas rasas perto das margens do lago. O relógio de Luís II havia parado de funcionar às 6:54. Os guardas responsáveis pelo patrulhamento do bosque alegaram não ter ouvido e visto nada.